Dificuldades de ereção e a ejaculação precoce. Que homem não enfrentou, ainda que ocasionalmente, situações constrangedoras envolvendo essas alterações? Dois terços dos homens referem algum grau de dificuldade de ereção após os 50 anos. Mas, é preciso dividir a disfunção erétil em dois grandes grupos para compreender melhor a questão.

Há aqueles casos psicogênicos e há os de causa orgânica. Na disfunção erétil orgânica há um defeito fisiológico que pode ser vascular (falha de enchimento sanguíneo peniano), neurológica (por lesão dos nervos penianos ocorrida em casos de cirurgias pélvicas, traumas e diabetes mélittus) ou hormonal (quedas dos níveis de testosterona no hipogonadismo).

Nos casos psicogênicos não há distúrbio físico, apenas emocional. Quando a origem é psicológica, a dificuldade de ereção em geral tem início abrupto, bem definido, e a pessoa mantém ereções matinais e noturnas espontâneas, bem como na masturbação. Já nos casos de origem fisiológica, a dificuldade de rigidez é insidiosa, progressiva, e as ereções matinais e noturnas também desaparecem.

É enorme o número de pessoas que sofrem com essa situação sem procurar orientação especializada. O urologista terá condições de identificar a causa da disfunção e iniciar tratamento adequado. Além disso, recentes estudos mostram que problemas de ereção podem ser a primeira manifestação de doenças cardíacas silenciosas. Portanto, além de cuidar da auto-estima e da felicidade afetiva, pode-se estar evitando um futuro infarto.